Plano de Negócios Exemplo de Restaurante

Plano de Negócios Exemplo de Restaurante

Uma vez definido o Modelo de Negócio vamos começar a “fazer contas”, como costuma dizer-se e delinear o Plano de Negócios. Utilizamos um plano de negócios com exemplo de restaurante, para analisar vendas, custos fixos, custos variáveis e investimentos necessários.

Tempo de leitura: 7 minutes

1. Finalidade do Plano de Negócios

Após ter uma ideia sobre o negócio que pretendemos criar, usando os resultados do Modelo de Negócio, precisamos de sistematizar todas as ideias e quantificar as vendas, nas suas várias vertentes, os custos fixos, os custos variáveis ou de produção, bem como as necessidades de financiamento.

Servirá de orientação para o planeamento e controlo do empreendimento não só para o empreendedor, mas, também, para todos os colaboradores e parceiros envolvidos.

Se for necessário encontrar investidor ou se houver necessidade de empréstimo, será uma ferramenta básica para se poder apresentar o modelo de negócio, a análise de mercado, o processo operativo e a rendibilidade do projeto.

2. O Plano de Negócios é o Guia da Empresa

Ao elaborar o Plano de Negócios, vão levantar-se questões e dúvidas que, ao serem ultrapassadas, ajudarão o empreendedor e o grupo que o acompanha a compreender melhor as várias vertentes do negócio.

Desde logo, a concorrência, o potencial do mercado, o produto ou serviço que se está a oferecer, os motores de crescimento, os riscos do negócio e o modelo de financiamento.

Após elaborado, o Plano de Negócios que poderá ter de sofrer alterações e melhorias, passa a ser o guia da empresa, com objetivos definidos quer em qualidade quer em quantidade e o respetivo impacto nos resultados.

Criar Plano de negócios exemplo de restaurante
Criar Plano de negócios exemplo de restaurante

3. Plano de Negócios com exemplo de restaurante

Vamos usar como exemplo a abertura de um restaurante.

Encontrado um espaço para abrir o nosso negócio, será o local ideal em relação ao que tínhamos pensado no nosso modelo de negócio?

Temos também de avaliar o valor da renda desse espaço comercial, se é necessário fazer obras e quanto custarão, qual o equipamento necessário para a restauração ou, ainda, algum outro investimento acessório, mas fundamental ao negócio.

4. Previsão de receitas, custos fixos e variáveis

Antes de iniciar a atividade, precisamos de saber quanto temos de gastar na criação e no desenvolvimento do negócio.

É o caso, neste exemplo de plano de negócio para um restaurante, de um terminal “Point of Sales” (POS) para fazer os pedidos, as cobranças, emitir os recibos da venda e guardar os valores.

Também analisar se este equipamento deve ser comprado ou alugado, o que depende das disponibilidades no arranque do negócio.

Se é necessário mobiliário, equipamento informático, qual o stock inicial de matérias-primas, licenças camarárias ou outras, design da imagem corporativa, gastos em comunicação e publicidade, registo da marca, etc.

As Vendas, Receitas ou Proveitos, exigem que conheçamos os preços que a concorrência pratica e os produtos que oferece, tal como já vimos no processo de elaboração do Modelo de Negócio.

Modelo de Negócio Canvas
Modelo de Negócio Canvas

Se oferecermos produtos com valor acrescentado, será que podemos aumentar o preço? E se o preço for superior, teremos clientes? Podemos baixar o custo de produção, os custos variáveis? E os custos fixos?

Se existirem sócios deve discutir-se entre todos estas questões, mas fica desde já uma recomendação: ter uma pessoa com experiência que ajude a coordenar essa discussão, que levante questões e que ajude na preparação do Plano de Negócios.

Criar Plano de negócios exemplo de restaurante
Criar Plano de negócios com exemplo de restaurante

Ter a ajuda de um profissional experiente que colabore na discussão e que mais tarde compile o que foi discutido e que converta essas ideias no plano, é a forma mais correta de conduzir este processo.

Todos devem perceber o conteúdo do plano de negócios e reconhecerem que os seus contributos estão lá inseridos.

É muito importante envolver as pessoas que estão no negócio, que devem ter um papel muito ativo na discussão e preparação do plano e por isso não é recomendável “encomendar” a um especialista a elaboração do plano do seu negócio.

Chega o momento em que é preciso saber se os Capitais Próprios são suficientes ou se teremos de recorrer a outras fontes de financiamento: empréstimo bancário, “renting”, “leasing”, ajudas e apoios especiais, sem esquecer os públicos se os houver.

No capítulo das despesas é preciso estimá-las. Algumas serão custos fixos, independentes da faturação e do tipo de produção, como por exemplo a renda do espaço, os seguros, os custos com pessoal, a publicidade, etc.

Haverá também custos variáveis ou custos de produção, que dependem do volume do negócio, como as matérias-primas necessárias para a confeção dos produtos, entre outros.

No Plano de Negócios é, igualmente, preciso planear quais os valores que precisamos de reservar para o financiamento do ciclo de exploração. É o chamado fundo de maneio, que deve ser previsto em função do tipo de negócio e do risco envolvido. Englobam-se aqui a “folga” que pretendemos ter para fazer face aos custos fixos e ao custo de produção.

O fundo de maneio é, assim, uma “almofada financeira” que devemos planear para enfrentar imprevistos e dificuldades como, por exemplo, as vendas não serem tão boas como projetámos inicialmente e termos de continuar a pagar aos nossos fornecedores e colaboradores.

5. O investimento necessário

Após a análise do Modelo de Negócio e das discussões em torno deste tema, estamos em condições de analisar as rubricas de investimento que teremos de fazer.

Deveremos ter, como base de trabalho, orçamentos que foram pedidos a várias entidades ainda que de forma não vinculativa.

Admitindo que estes orçamentos servirão para delinear o Plano de Negócios, mais tarde, deverão fazer-se as diligências para encontrar alternativas e negociar.

Para efeitos do plano os valores a considerar devem ser, por isso, considerados com alguma margem de segurança.

Que tipo de investimento temos então de fazer nas rubricas:

  • Adaptação/Ampliação de Instalações
  • Equipamento Administrativo
  • Equipamento Específico
  • Estudos e diagnósticos
  • Despesas Diversas com o Arranque do projeto
  • Marketing e identidade corporativa
  • Despesas de constituição

Vamos admitir então, para efeito deste exercício de plano de negócios do exemplo de restaurante, que são necessárias algumas obras e reparações e que os orçamentos apontam para 4.000 euros.

Em equipamento administrativo, Internet, telemóveis e equipamento de som, precisamos de 1.000 euros.

Em equipamento para melhorar as condições da cozinha, palamenta, sistema POS, forno convetor, arcas, frigoríficos e toalhas, precisamos de 10.000 euros.

Em diversas despesas de “arranque”, como a caução para a renda, constituição da empresa, registo de marca, inscrição em entidades ligadas à restauração, despesas com inauguração, publicidade estimamos 5.000 euros.

Estes valores podem ser registados numa folha de cálculo e nela colocados todos os comentários que entendermos ajudar à sua interpretação.

Como já estamos numa fase mais adiantada do projeto, os valores a que chegámos quando fizemos o modelo de negócio, deve agora ser completado e atualizado.

A folha com o investimento necessário para este exemplo de plano de negócios de restauração é o seguinte:

Investimentos
Investimento Necessário

Falta ainda calcular o fundo de maneio, mas para já podemos verificar que teremos de ter 20.000€ para arrancar com o projeto, sendo que destes, 5000€ não são considerados investimento, mas despesas com o arranque do negócio.

6. Financiamento deste plano de negócios exemplo

Sem entrar, ainda, em consideração com as necessidades de fundo de maneio, verificamos que neste exemplo precisamos de 20.000 euros.

Se o capital social for de 5.000 euros serão necessários mais 15.000 euros.

Se tivermos este dinheiro disponível, os sócios podem fazer empréstimos à empresa ou aumentar o capital social.

Se não houver essa disponibilidade financeira teremos de encontrar soluções que podem passar por encontrar um parceiro financiador, obter empréstimo bancário ou tentar o aluguer de alguns equipamentos em vez de os comprar, entre outras.

Neste momento do processo de planeamento ainda é cedo para tomar essas decisões.

Para o nosso plano de restaurante temos de conhecer melhor os custos fixos, os custos de mão de obra, os custos variáveis e os proveitos ou vendas do nosso empreendimento.

Veja Também


De 1 a 5 estrelas, como avalia este artigo?

5 estrelas para a maior pontuação!

Como achou este artigo interessante...

Partilhe-o na sua rede social favorita!

Gostariamos que o artigo tivesse sido do seu inteiro agrado.

Ajude-nos a melhorar!

Ficaremos muito gratos se nos der o seu contributo para o tornar melhor.

Junte-se a nós

Gosta das questões e dicas que abordamos?

Receba as novidades diretamente na sua mailbox.

Subscreva a nossa newsletter

Pode cancelar a subscrição em qualquer momento.

E se quiser voltar, ficaremos muito gratos!

logo Passaro no Ombro 250 x 143

Leave a Comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Política de Privacidade          Termos e Condições

Junte-se a nós!

Registe-se e não perca as novidades do seu blog

Receba a newsleter semanal no seu e-mail

Obrigado pela visita!

Surpreenda-se com a nossa página de Facebook.

Volte sempre

Logotipo PO 100 x 100 png Pop Ups
Scroll to Top