Índice de Bem Estar e Qualidade de Vida

Felicidade

Indicadores do Desenvolvimento Humano

O Índice de bem estar, pretende ser uma medida da qualidade de vida e do desenvolvimento humano, no âmbito mais abrangente. O bem estar e progresso social que o indicador pretende medir, não significa um nível de felicidade maior ou menor, já que este sentimento é mais volátil e subjetivo.

Assim, nalguns casos estamos felizes quando o nosso clube ganhou e infelizes se perdeu, sem que isso tenha alguma relação com a qualidade de vida, embora esta possa influenciar a sensação de felicidade.

No entanto, o nível de bem estar da população deve ser medido de alguma forma.

Se não houver uma medida, não é possível saber se melhoramos ou pioramos e por isso não será possível saber o resultado de medidas que foram tomadas, nem encontrar formas de melhorar.

Como dizia Albert Einstein “na medida em que as proposições da matemática se referem à realidade, elas não são certas e, na medida em que são certas, não se referem à realidade”.

Não é só para os governantes dos países, que este indicador tem importância. Também serve para os cidadãos em geral poderem analisar e discutir com base em algo concreto e comparável.

Assim, com medidores objetivos, podem contribuir com a sua vivência pessoal, do que entendem sobre a qualidade de vida e em que medida os indicadores e a sua evolução corrrespondem também à sua visão do progresso e desenvolvimento humano.

Índice de bem estar e progresso social

O Índice de bem estar é divulgado anualmente pelo INE e também acessível na Pordata.

A OCDE publica estes indicadores de progresso e desenvolvimento humano para os Países que a integram e alguns não pertencentes à Organização, como é o caso do Brasil e designado por “Better Life Index”.

Reproduzimos um resumo dos indicadores de Bem Estar, com o ano de referência (2004), um ano intermédio (2010) e o último valor conhecido do ano de 2017:

Índice de Bem Estar, INE
Índice de Bem Estar, INE

Assim, o índice global de bem estar e progresso social, melhorou sempre desde 2004 da base 100 para 131,4, ou seja 31,4%.

Índice das condições materiais de vida

Por exemplo verificamos que apesar de globalmente ter melhorado o Indice de bem estar, as condições materiais de vida diminuiram para 97,5 em relação a 2004, embora esteja a melhorar. Nesta vertente, verificamos que a vulnerabilidade económica e o trabalho e remuneração estão piores que em 2004, decorridos 18 anos.

Embora os números não digam tudo, não há dúvida que esta tendência negativa é relevante e merece a nossa atenção.

Índice de qualidade de vida

Outra vertente do bem estar, o indice de qualidade de vida, que engloba domínios de análise como saúde, balanço vida-trabalho, educação, conhecimento e competências, relações sociais e bem estar subjetivo, participação cívica e governação, segurança pessoal e ambiente, melhorou para 145,9, mais 45,9% que em 2004.

O sentimento de segurança mantém uma trajetória ascendente e a atingir 144,6 em 2017 o que se deve à confiança nas várias polícias e ao baixo indice de criminalidade.

O que mais subiu foi o indicador educação, conhecimento e competências e o que menos subiu for o indicador do balanço vida-trabalho praticamente igual (99,9) ao que tinhamos em 2004 e desde 2011 sempre a descer, como se constata na tabela seguinte.

Indicadores de Progresso e Desenvolvimento Humano
Indicadores de Progresso e Desenvolvimento Humano

Também as relações sociais e bem estar subjetivo só começam a subir a partir de 2015 e atingindo 112,0 em 2017, bem como a participação cívica e governação com 173,3 em 2017.

Comparação com países da OCDE

Comparemos agora alguns indicadores da OCDE entre Portugal, Brasil e Suécia.

Indicadores Qualidade de Vida, OCDE
Indicadores Qualidade de Vida, OCDE

Portugal tem padrões longe da Suécia, na insegurança do mercado de trabalho, taxa de emprego, desemprego de longo prazo, excesso de horas de trabalho e taxa de sucesso escolar.

O Brasil, com indicadores menos positivos nas instalações básicas das casas e na taxa de homicídios.

A Suécia tem melhores indicadores do seu desenvolvimento humano, bem melhor nos rendimentos de trabalho, qualidade da água, afluência às urnas, expectativa de vida e satisfação de vida.

Portugal ligeiramente melhor nas competências dos estudantes.


De 1 a 5 estrelas, como avalia este artigo?

Clique numa das estrelas para o avaliar!

Lamentamos que este artigo não tenha sido útil para si!

Ajude-nos a melhorar!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

close

Junte-se a nós!
Seja feliz!

Visite a Página Facebook
Receba Newsletter por Email
Veja o nosso canal Youtube
Visite-nos no Twitter
Visite o Instagram