Vinhos portugueses entre os melhores

Vinhos portugueses, como os apreciar melhor

Portugal é um país com uma longa tradição na produção de vinhos de qualidade. Existem várias regiões vinícolas em todo o país, cada uma com suas próprias uvas e estilos de vinho. Para bem saborear os vinhos portugueses, é importante conhecer um pouco da história do vinho português e seguir algumas dicas simples.

Tempo estimado de leitura: 5 minutes

A escolha entre os vários vinhos portugueses

Portugal produz vinhos tintos, brancos e rosés numa grande diversidade de estilos.

No ranking dos produtores nacionais, a revista Wine & Spirits colocou em 2019, cinco produtores portugueses no topo dos 100 produtores de vinho do mundo:

  • W&J Graham’s
  • Quinta do Noval, região do Douro
  • Taylor Fladegate, região do Douro
  • Soalheiro, região do Vinho Verde
  • Luís Pato, região da Bairrada.

Cada região vinícola tem características peculiares, provenientes da casta das uvas, do tipo de solo, do clima, da topografia e das técnicas de produção (“terroir”).

Algumas das regiões mais conhecidas em Portugal e que são importantes na escolha do vinho português:

  • Douro
  • Lisboa
  • Alentejo
  • Vinho Verde, Minho
  • Setúbal
  • Alentejo
  • Beira
  • Dão
  • Algarve
  • Bairrada
  • Valpaços
  • Bucelas
  • Colares
  • Carcavelos

Outro critério é verificar se tem o selo de Denominação de Origem Controlada (DOC) e algum prémio nacional ou internacional.

A região do Douro tem uma história interessante pois foi designada e protegida pelo Marquês de Pombal, como região demarcada.

Foi o Marquês de Pombal (Sebastião José de Carvalho e Melo) que demarcou a região dos vinhos do Douro em 1756 e, para garantir a qualidade do vinho aí produzido, criou a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, também conhecida por Real Companhia Velha.

É a região demarcada mais antiga do Mundo e Património Mundial da UNESCO desde 2001 e célebre pela produção do Vinho do Porto.

Região Demarcada do Douro
Região Demarcada do Douro

No vinho branco, as castas mais famosas são o Bical, Alvarinho, Arinto, Encruzado e Fernão Pires.

No vinho tinto, as castas portuguesas mais famosas são a Baga, Castelão, Touriga Nacional, Trincadeira, Aragonez, Alfrocheiro e Touriga Franca.

O vinho verde é uma DOC e tem vinhos brancos, tintos, rosés e até espumantes. Estes vinhos são produzidos no norte de Portugal e têm um perfil aromático e gustativo diferentes dos restantes.

Por outro lado, o ano da colheita pode ter um impacto significativo na qualidade do vinho.

Nos anos mais quentes os vinhos são em geral mais encorpados e com mais sabor.


Obrigado por ler este artigo, não se esqueça de subscrever!

Clique aqui

Obrigado e até breve.


 

Sensações visuais do vinho português

No caso dos vinhos portugueses, é importante olhar para a cor e viscosidade.

Os vinhos tintos mais jovens tendem a ter uma cor mais intensa enquanto os mais velhos podem ter uma cor mais clara.

Os vinhos brancos mais claros são, em princípio, mais leves enquanto os mais dourados tendem a ser mais ricos e encorpados.

Uma maior viscosidade do vinho pode indiciar um maior teor alcoólico.

As sensações olfativas do vinho português

O aroma é outra vertente da experiência de saborear um vinho português.

Para haver uma maior libertação dos aromas, deve agitar-se o vinho.

Em seguida cheirar profundamente para detetar todas as nuances dos “perfumes” que ele exala. Podem ser aromas de frutas, flores, especiarias e madeira.

Os vinhos mais jovens normalmente têm aromas mais frescos e frutados enquanto os mais velhos apresentam aromas mais complexos.

O sabor do vinho português

A primeira sensação deve ser proveniente de um pequeno gole e deixar o vinho circular na boca e só depois o engolir.

As sensações que se têm na língua e no palato são diferentes do sabor que sentimos quando o vinho passa pela garganta.

Isto ajuda a apreciar as várias nuances do sabor do vinho, como as frutas, especiarias, carvalho e notas mais terrosas como os minerais.

Os vinhos tintos podem ser encorpados e tânicos, enquanto os brancos podem ser leves e refrescantes.

Harmonizar o vinho português com a comida

Todos os alimentos podem ser acompanhados com vinho.

Vai depender da forma como está a querer disfrutar essa combinação.

Por exemplo um prato suculento, como um bife ou cozido à portuguesa pode ser acompanhado com um vinho robusto, enquanto um vinho branco ou rosé leve pode ser ótimo para acompanhar um peixe grelhado.

Mas também pode querer compensar a robustez do prato com a frescura de um vinho mais leve e vice-versa.

Beber um vinho verde, para criar uma grande diferenciação entre a comida e a bebida, pode ser outra das opções.

E claro, sempre com moderação.

Um Mundo de sensações reais e virtuais

É um mundo de sensações, visuais, olfativas e gustativas.

Mas também auditivas pois desde a saída da rolha da garrafa até ao vinho a cair da garrafa ou do decantador para o copo, o nosso ouvido também fica encantado com o som produzido.

Mas além destas sensações reais, se fecharmos os olhos ao saborear o vinho e pensarmos na história tão antiga que lhe está subjacente, então teremos um efeito sublime no nosso corpo e espírito.

O vinho português já vem dos tempos dos romanos que o produziam em talhas ou ânforas, há mais de 2.000 anos.

E alguns produtores têm vinhos produzidos com a mesma técnica, o vinho da talha.

Vinho português com tradição, Vinho da Talha
Vinho português com tradição, Vinho da Talha

É uma tradição em Portugal, especialmente na região do Alentejo onde são produzidos em grandes vasos de argila.

Ou a forma como o vinho é produzido em condições de extrema dificuldade, como é o caso dos vinhos produzidos na Ilha do Pico nos Açores, o vinho do Pico.

Vinho da Ilha do Pico, Açores
Vinho da Ilha do Pico, Açores

As vinhas estão situadas na parte terminal das lavas basálticas que deram origem às ilhas, tornando um mistério como é possível fazer ali vinho.

How useful was this post?

Click on a star to rate it!

As you found this post useful...

Follow us on social media!

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!

Tell us how we can improve this post?

1 thought on “Vinhos portugueses, como os apreciar melhor”

  1. Belarmino G Martins

    Um artigo muito interessante mesmo, em especial para apreciadores leigos de enologia, como é o meu caso. Dá gosto ver apresentadas com tanta simplicidade as coisas simples ligadas ao vinho.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Política de Privacidade          Termos e Condições

SUBSCREVE A NOSSA

NEWSLETTER

O clube da elite!

Recebe as novidades no teu email

WELCOME,

Enjoy luxury, exclusivity and discretion

NOW TREAT YOURSELF!

Get 25% Off & Free Shipping On Your First Order. Enter Code WELL25SPE

Obrigado pela visita!

Surpreenda-se com a nossa página de Facebook.

Volte sempre

Logotipo PO 100 x 100 png Pop Ups
Scroll to Top