As vinhas da Ilha do Pico e o Vinho do Pico

As Vinhas da Ilha do Pico

Da pedra se faz vinho! Ao passear pela Ilha do Pico, uma das paisagens que mais surpreende é a quantidade de muros de pedra vulcânica, que ladeando pequenas parcelas, se sabe servirem para proteger, do vento e do sal do mar, as vinhas da Ilha do Pico. As vinhas do Pico têm tradição desde a descoberta da Ilha e revelam-se nas característica únicas do vinho do Pico.

Tempo de leitura: 4 minutes

A Descoberta das Vinhas do Pico

A vinha é cultivada na Ilha do Pico desde os primeiros tempos do povoamento, no século XV. Atingiu o expoente de produção no século XIX mas uma praga de oídio levou ao seu abandono e desertificou a própria Ilha.

Inicialmente o vinho do pico era produzido a partir da casta verdelho, que ainda hoje é uma referência. Chegou a ser exportado para os EUA e os czares da Rússia também muito o apreciavam.

Vinhas do Pico
Vinhas do Pico

As Novas Castas do Vinho do Pico

Apesar da introdução de novas castas e produzidos vinhos brancos e tintos, o cultivo das vinhas do Pico continuou sempre igual, como que arrancado à natureza.

Em terrenos vulcânicos, o homem levanta uma pedra, coloca um punhado de terra e as vinhas brotam do interior das fendas. A pedra é colocada para ir construindo um muro de pedras soltas.

Texto indicando PUBLICIDADE

Estes muros ou “currais”, como ali lhe chamam, dariam, se fossem todos colocados em linha, duas voltas ao planeta, tal a sua extensão.

Vinhas do Pico
Vinhas do Pico

Vinhas da Ilha do Pico e o Vinho do Pico

Sabendo esta história de conquista do homem à natureza, fica-se deslumbrado e ansioso por provar o afamado vinho do Pico. A estreia do Pico na prova de vinhos.

Prova de Vinho do Pico
Prova de Vinho do Pico

Como se lhe refere o Padre António Cordeiro, em 1717, na sua obra História Insulana das Ilhas: o vinho do Pico “emprega-se mais em gastar os maus humores, confortar o estômago, alegrar o coração, e avivar, e não fazer perder o juizo, e uso da razão, além de ser suavíssimo no gosto, e muito confortativo.”

A cultura das vinhas da Ilha do Pico foi sendo apurada ao longo dos séculos pelos frades que aqui viveram. A sua habilidade e conhecimento, fizeram a diferença.

O Pico Gigante que Emerge do Atlântico

A Ilha do Pico tem a mesma origem tectónica que a sua irmã, a Ilha do Faial, mesmo à sua frente. Separa-as um canal, como dizia Vitorino Nemésio, com mau tempo, normalmente.

Texto indicando PUBLICIDADE

Dizia Raul Brandão, na sua obra de 1926, As Ilhas Desconhecidas, que “A Ilha do Pico é a mais bela, a mais extraordinária Ilha dos Açores” e acrescentava: “É mais que uma ilha – é uma estátua erguida até ao céu e moldada pelo fogo – é outro Adamastor como o do Cabo das Tormentas”.

Por falar em tormentas, outra das grandes sagas, foi a caça à Baleia. Veremos noutra ocasião.

Património da Humanidade

Com toda a propriedade, em 2004 a UNESCO considerou a Paisagem da Vinha da Ilha do Pico como Património da Humanidade.


E não esqueça que um bom companheiro para degustar a castanha de São Martinho, o vinho do Pico pode fazer esse papel.

As Ilhas Desconhecidas

Faça o download do livro de Raul Brandão, As Ilhas Desconhecidas.
DOWNLOAD GRATUITO

Enviar o link de download para:

Tomei conhecimento da Política de Privacidade. Opte também por receber a nossa newsletter, clicando na caixa abaixo. Obrigado.

Clique nesta caixa, para receber a nossa newsletter semanal e gratuita. Em qualquer momento pode cancelar a subscrição. E se quiser voltar, cá estaremos à sua espera!


How useful was this post?

Click on a star to rate it!

As you found this post useful...

Follow us on social media!

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!

Tell us how we can improve this post?

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Política de Privacidade          Termos e Condições

Scroll to Top