As Vinhas da Ilha do Pico

As vinhas da Ilha do Pico e o Vinho do Pico. Vinhas do Pico

Da pedra se faz vinho! Ao passear pela Ilha do Pico, uma das paisagens que mais surpreende é a quantidade de muros de pedra vulcânica, que ladeando pequenas parcelas, se sabe servirem para proteger, do vento e do sal do mar, as vinhas da Ilha do Pico. As vinhas do Pico têm tradição desde a descoberta da Ilha e revelam-se nas característica únicas do vinho do Pico.

A Descoberta das Vinhas do Pico

A vinha é cultivada na Ilha do Pico desde os primeiros tempos do povoamento, no século XV. Atingiu o expoente de produção no século XIX mas uma praga de oídio levou ao seu abandono e desertificou a própria Ilha.

Inicialmente o vinho do pico era produzido a partir da casta verdelho, que ainda hoje é uma referência. Chegou a ser exportado para os EUA e os czares da Rússia também muito o apreciavam.

Vinhas do Pico
Vinhas do Pico

As Novas Castas do Vinho do Pico

Apesar da introdução de novas castas e produzidos vinhos brancos e tintos, o cultivo das vinhas do Pico continuou sempre igual, como que arrancado à natureza.

Em terrenos vulcânicos, o homem levanta uma pedra, coloca um punhado de terra e as vinhas brotam do interior das fendas. A pedra é colocada para ir construindo um muro de pedras soltas.

Estes muros ou “currais”, como ali lhe chamam, dariam, se fossem todos colocados em linha, duas voltas ao planeta, tal a sua extensão.

Vinhas do Pico
Vinhas do Pico

Vinhas da Ilha do Pico e o Vinho do Pico

Sabendo esta história de conquista do homem à natureza, fica-se deslumbrado e ansioso por provar o afamado vinho do Pico. A estreia do Pico na prova de vinhos.

Prova de Vinho do Pico
Prova de Vinho do Pico

Como se lhe refere o Padre António Cordeiro, em 1717, na sua obra História Insulana das Ilhas: o vinho do Pico “emprega-se mais em gastar os maus humores, confortar o estômago, alegrar o coração, e avivar, e não fazer perder o juizo, e uso da razão, além de ser suavíssimo no gosto, e muito confortativo.”

A cultura das vinhas da Ilha do Pico foi sendo apurada ao longo dos séculos pelos frades que aqui viveram. A sua habilidade e conhecimento, fizeram a diferença.

O Pico Gigante que Emerge do Atlântico

A Ilha do Pico tem a mesma origem tectónica que a sua irmã, a Ilha do Faial, mesmo à sua frente. Separa-as um canal, como dizia Vitorino Nemésio, com mau tempo, normalmente.

Dizia Raul Brandão, na sua obra de 1926, As Ilhas Desconhecidas, que “A Ilha do Pico é a mais bela, a mais extraordinária Ilha dos Açores” e acrescentava: “É mais que uma ilha – é uma estátua erguida até ao céu e moldada pelo fogo – é outro Adamastor como o do Cabo das Tormentas”.

Por falar em tormentas, outra das grandes sagas, foi a caça à Baleia. Veremos noutra ocasião.

Património da Humanidade

Com toda a propriedade, em 2004 a UNESCO considerou a Paisagem da Vinha da Ilha do Pico como Património da Humanidade.


Se fizer uma visita à Ilha do Pico, coloque as suas fotos e videos no Instagram ou Facebook e marque a publicação com #aprendersempre #passaronoombro.


As_Ilhas_Desconhecidas_Raul_Brandao

As Ilhas Desconhecidas

Faça o download do livro de Raul Brandão, As Ilhas Desconhecidas.
DOWNLOAD GRATUITO

Enviar o link de download para:

I agree to the Privacy Policy and want to subscribe to the newsletter. Cancellation is possible at any time.

De 1 a 5 estrelas, como avalia este artigo?

Clique numa das estrelas para o avaliar!

Lamentamos que este artigo não tenha sido útil para si!

Ajude-nos a melhorar!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

close

Junte-se a nós!
Seja feliz!

Visite a Página Facebook
Receba Newsletter por Email
Veja o nosso canal Youtube
Siga-nos no Twitter
Visite o Instagram