Capitais de Portugal D. Afonso Henriques Batalha de Ourique Joseolgon, CC BY-SA 3.0

As capitais de Portugal ao longo da história

Portugal já teve várias capitais desde a sua fundação em 1096. Três no continente, uma no Arquipélago dos Açores e outra no Brasil. Descubra quais foram as cinco capitais de Portugal e as razões que as levaram a ser e a deixarem de o ser.

Tempo de leitura: 5 minutes

O Condado Portucalense foi fundado em 868 por Vimara Peres.

D. Henrique (de Borgonha) recebeu como feudo, do Rei Afonso VI de Leão e Castela, o Condado Portucalense em 1096 e foi ele que o tornou independente de Leão e Castela.

Ao longo dos seus mais de 900 anos de existência Portugal teve várias capitais.

No entanto, não existe um documento oficial que defina cada cidade como sendo a capital de Portugal.

Todas as capitais são assim designadas pelo facto do Rei e a sua corte aí viverem.

Após a queda da monarquia, o Presidente da República, o Governo e o Parlamento passaram a desempenhar esse papel.

Guimarães

Castelo de Guimarães - Primeira Capital de Portugal
Castelo de Guimarães – Primeira Capital de Portugal

Guimarães foi a primeira cidade de Portugal, embora na altura o país ainda fosse só um Condado, o Condado Portucalense.

A cidade “Berço de Portugal” é também a forma carinhosa como é conhecida Guimarães.

Aqui se mantêm os vestígios da fundação de Portugal, da nossa nacionalidade e da independência do país que se mantêm vivos e são marcantes para quem lá vive e quem a visita.

À medida que o território ia avançando para sul, reconquistando território aos ocupantes muçulmanos, também a residência oficial da corte mudava.

Quando Afonso Henriques se assumiu como Rei de Portugal, a residência passou a ser em Coimbra que, por isso, se tornou a capital.

Coimbra

Coimbra
Coimbra

Após a formação do Condado Portucalense, D. Henrique e Dª. Teresa foram viver para Coimbra que se estava a transformar numa cidade importante pela sua localização central e estratégica na defesa do território português.

Foi ali que D. Afonso Henriques nasceu e que fez de Coimbra a capital do Condado em 1139, substituindo Guimarães.


Obrigado por ler este artigo, não se esqueça de subscrever!

Clique aqui

Obrigado e até breve.


 

A celebração do Tratado de Zamora em 1143, assinado por D. Afonso Henriques e Afonso VII de Leão e Castela, reconhece o estatuto jurídico de Portugal como reino independente.

O Papa Alexandre III confirma esse estatuto em 1179.

É muito conhecida pela preservação dos seus ares medievais e pela Universidade de Coimbra, uma das primeiras universidades europeias, fundada por D. Dinis em 1291.

A cidade dos estudantes é ainda hoje reconhecida como a capital.

Lisboa

Lisboa Castelo de São Jorge
Lisboa Castelo de São Jorge

Coimbra foi importante para a independência do país e assim se manteve até que o Rei D. Afonso III resolveu mudar-se para Lisboa em 1255.

A decisão tomada foi baseada na sua posição estratégica dado que, ao grande estuário do Tejo podiam aportar todos os tipos de navios de mercadorias.

Em Lisboa há vestígios da passagem dos Fenícios precisamente na prática da atividade comercial, mas também de Cartagineses e Romanos.

Lisboa passa assim a ser a capital de Portugal, sem haver uma declaração real para esse efeito.

A declaração de D. Afonso Henriques atribuindo a Coimbra essa categoria, nunca foi extinta.

No entanto, durante as Invasões Francesas pelas tropas de Napoleão, a Corte deslocou-se, em 1808, para o Rio de Janeiro no Brasil.

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro uma das Capitais de Portugal
Rio de Janeiro foi uma das Capitais de Portugal

Com a partida da família real para o Brasil, o Rio de Janeiro, para todos os efeitos, passou a ser a nova capital de Portugal.

Como muitos historiadores dizem, tratou-se de uma “inversão metropolitana” já que o governo passou a ser feito a partir de uma colónia portuguesa.

Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo foi Capital de Portugal Fonte José Luís Ávila Silveira, Pedro Noronha e Costa Public domain, via Wikimedia Commons
Angra do Heroísmo foi Capital de Portugal; Fonte José Luís Ávila Silveira, Pedro Noronha e Costa Public domain, via Wikimedia Commons

Angra do Heroísmo, nos Açores, foi capital de Portugal por duas vezes.

A primeira vez, quando D. António, Prior do Crato, ali estabeleceu o seu governo, entre 1580 e 1582.

Na segunda vez a cidade de Angra do Heroísmo passou a ser o centro do movimento liberal português, que se uniu numa Junta Provisória criada em 1828, a causa da Rainha D. Maria II.

Durante o período da Guerra Civil Portuguesa entre 1830 e 1833, disputada entre Absolutistas e Liberais, Angra passou assim a ser a capital de Portugal.

How useful was this post?

Click on a star to rate it!

As you found this post useful...

Follow us on social media!

We are sorry that this post was not useful for you!

Let us improve this post!

Tell us how we can improve this post?

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Política de Privacidade          Termos e Condições

SUBSCREVE A NOSSA

NEWSLETTER

O clube da elite!

Recebe as novidades no teu email

WELCOME,

Enjoy luxury, exclusivity and discretion

NOW TREAT YOURSELF!

Get 25% Off & Free Shipping On Your First Order. Enter Code WELL25SPE

Obrigado pela visita!

Surpreenda-se com a nossa página de Facebook.

Volte sempre

Logotipo PO 100 x 100 png Pop Ups
Scroll to Top